Talhas de Borba Branco

6,24€ inclui IVA

Brevemente

  • Vinificação

    O processo de produção de vinho de talha é um sistema ancestral romano de fazer vinho, onde a talha ou pote de barro, tem uma dupla finalidade, a produção e a armazenagem do vinho. Isto é, faz-se e guarda-se o vinho dentro do mesmo recipiente. Actualmente, no processo produtivo de vinho de talha, as uvas são despejadas num pequeno tegão que está acoplado com um esmagador/desengaçador, sendo desengaçadas e esmagadas, com o auxílio de uma bomba são transportadas as uvas e o sumo para dentro das talhas, onde se vai dar a fermentação. Durante 3 a 4 semanas, período de tempo em que decorre a fermentação, as massas, também chamadas de balsa, sobem à superfície da talha, sendo necessário mexer as talhas, é a operação de remontagem, que consiste em misturar o mosto com as películas e grainhas da uva, para que a parte sólida seja mergulhada na parte líquida. Concluída a fermentação e de forma lenta, dia após dia, as películas e grainhas vão caindo para o fundo da talha, formando uma manta compacta, conhecida por mãe. Esta, tem como função principal filtrar naturalmente o vinho para que fique pronto a beber, quando este sai da talha por gravidade através de um orifício que se encontra na parte inferior. O vinho de talha para ser certificado como DOP Alentejo, obrigatoriamente deverá ficar com a ‘mãe’ na talha até ao dia de S.Martinho do ano da colheita (11 de Novembro), o que se verificou com o vinho que apresentamos na nossa marca Talhas de Borba.

    Um vinho diferente, vinificado 100% em talha de barro, sem estágio em madeira. Preferencialmente para consumidores que procuram vinho de perfil tradicional, com alguma rusticidade e de tipicidade verdadeiramente alentejana. Vinho não filtrado. Pode criar depósito com a idade.

  • Notas de Prova

    Vinho de cor limão maduro.
    Aroma e sabor ‘a casta’, frutado a marmelo, com harmonia suave ao palato.
    Um vinho de sabor ‘a uvas’.

  • Como Servir

    Temperatura de 12-14ºC. Em acompanhamento de petiscos e pratos gastronómicos típicos da região Alentejo. Este vinho deve ser consumido de imediato.

  • Análise
    Teor Alcoólico
    12%Vol
    Acidez Total
    5,00 g/l
    PH
    3,40
    SO2 Total
    < 100 mg/l
    Contém sulfitos
  • Acondicionamento

    Caixa de 6 garrafas x 0,75L

O processo de produção de vinho de talha é um sistema ancestral romano de fazer vinho, onde a talha ou pote de barro, tem uma dupla finalidade, a produção e a armazenagem do vinho. Isto é, faz-se e guarda-se o vinho dentro do mesmo recipiente. Actualmente, no processo produtivo de vinho de talha, as uvas são despejadas num pequeno tegão que está acoplado com um esmagador/desengaçador, sendo desengaçadas e esmagadas, com o auxílio de uma bomba são transportadas as uvas e o sumo para dentro das talhas, onde se vai dar a fermentação. Durante 3 a 4 semanas, período de tempo em que decorre a fermentação, as massas, também chamadas de balsa, sobem à superfície da talha, sendo necessário mexer as talhas, é a operação de remontagem, que consiste em misturar o mosto com as películas e grainhas da uva, para que a parte sólida seja mergulhada na parte líquida. Concluída a fermentação e de forma lenta, dia após dia, as películas e grainhas vão caindo para o fundo da talha, formando uma manta compacta, conhecida por mãe. Esta, tem como função principal filtrar naturalmente o vinho para que fique pronto a beber, quando este sai da talha por gravidade através de um orifício que se encontra na parte inferior. O vinho de talha para ser certificado como DOP Alentejo, obrigatoriamente deverá ficar com a ‘mãe’ na talha até ao dia de S.Martinho do ano da colheita (11 de Novembro), o que se verificou com o vinho que apresentamos na nossa marca Talhas de Borba.

Um vinho diferente, vinificado 100% em talha de barro, sem estágio em madeira. Preferencialmente para consumidores que procuram vinho de perfil tradicional, com alguma rusticidade e de tipicidade verdadeiramente alentejana. Vinho não filtrado. Pode criar depósito com a idade.

Vinho de cor limão maduro.
Aroma e sabor ‘a casta’, frutado a marmelo, com harmonia suave ao palato.
Um vinho de sabor ‘a uvas’.

Temperatura de 12-14ºC. Em acompanhamento de petiscos e pratos gastronómicos típicos da região Alentejo. Este vinho deve ser consumido de imediato.

Teor Alcoólico
12%Vol
Acidez Total
5,00 g/l
PH
3,40
SO2 Total
< 100 mg/l
Contém sulfitos

Caixa de 6 garrafas x 0,75L